Educomunicação e saúde coletiva: pensando a comunicação como princípio para saúde e cidadania

Repositorio e-Archivo

Mostrar el registro sencillo del ítem

dc.contributor.author Santos Machado, Anderson dos
dc.contributor.other Asociación Española de Comunicación Sanitaria
dc.date.accessioned 2017-10-17T11:01:54Z
dc.date.available 2017-10-17T11:01:54Z
dc.date.issued 2017-10-19
dc.identifier.bibliographicCitation Machado, A.D.S. (2017). Educomunicação e saúde coletiva: pensando a comunicação como princípio para saúde e cidadania. 3er Congreso Internacional de Comunicación en Salud, 3ICHC (19-20/10/2017). Universidad Carlos III de Madrid
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/10016/25577
dc.description Comunicación oral presentada en el 3er Congreso Internacional de Comunicación en Salud (3ICHC), celebrado los días 19 y 20 de octubre de 2017 en la Universidad Carlos III de Madrid.
dc.description.abstract Este texto aproxima Educomunicação e Saúde Coletiva para pensar a Comunicação como direito que qualifica o cuidado em saúde que promova cidadania. A Educomunicação surge como paradigma discursivo transverso, que se estrutura de modo processual, midiático e transdisciplinar, que ressignifica a comunicação no processo educativo, voltada para uma educação emancipatória, que rompe com a narrativa dominante associada ao consumo. A Saúde Coletiva entende a saúde como produto da história, da cultura, das condições de vida e trabalho, da subjetividade; expressão de vitalidade, que extrapola as condições biológica. O social ajuda a compreender o cuidado, inscreve nos corpos uma marca, constituindo um corpo socialmente informado, que absorve padrões, estilos e influências. Porém, é necessário reconhecer em nossa sociedade padrões específicos de corpo e vida, pautados por práticas e saberes da medicina contemporânea, na qual vigora um imaginário de saúde como prestação de serviços altamente tecnificados (CECCIM et al., 2008/2009), onde o hospital ocuparia o topo de uma hierarquia de trabalho, reafirmando o conhecimento científico como normatizador das práticas sociais. Pensar o direito à comunicação vai além do acesso à informação de qualidade, pressupõe protagonismo e participação direta do cidadão, que tem o poder de comunicar e se fazer ouvir. O espaço da educomunicação, em geral, é no âmbito da escola, porém ela pode ocupar outros pontos estratégicos para a produção de cidadania no coletivo. A Educomunicação, com seu foco na educação, converge com a Comunicação em Saúde, no seu processo de educar para o pleno exercício do cuidado. Cabe ampliar teoricamente as discussões comuns, de modo a promover empoderamento, bem como estimular a produção de conteúdos com um foco educativo consciente sobre saúde.
dc.format.mimetype application/pdf
dc.language.iso por
dc.rights Atribución-NoComercial-SinDerivadas 3.0 España
dc.rights.uri http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/es/
dc.subject.other Salud
dc.subject.other Comunicación
dc.subject.other Comunicação
dc.subject.other Saúde
dc.title Educomunicação e saúde coletiva: pensando a comunicação como princípio para saúde e cidadania
dc.type conferenceObject
dc.subject.eciencia Ciencias de la Información
dc.subject.eciencia Medicina
dc.rights.accessRights openAccess
dc.type.version publishedVersion
dc.relation.eventdate 19-20 octubre 2017
dc.relation.eventnumber 3
dc.relation.eventplace Getafe (Madrid)
dc.relation.eventtitle Congreso Internacional de Comunicación en Salud: La salud del siglo XXI
dc.relation.eventtype presentation
dc.identifier.publicationtitle 3er Congreso Internacional de Comunicación en Salud, 3ICHC (19-20/10/2017). Universidad Carlos III de Madrid
dc.contributor.departamento Universidad Carlos III de Madrid. Departamento de Periodismo y Comunicación Audiovisual
 Find Full text

Ficheros en el ítem

*Click en la imagen del fichero para previsualizar.(Los elementos embargados carecen de esta funcionalidad)


El ítem tiene asociada la siguiente licencia:

Este ítem aparece en la(s) siguiente(s) colección(es)

Mostrar el registro sencillo del ítem